Histórico

 

    Nos últimos anos, professores de diversos países Ibero-americanos participam e criam coletivos e redes como formas alternativas de relação e organização pedagógica, lugares de encontro para o reconhecimento e intercâmbio de experiências e saberes, e possibilidade de construção coletiva de novas propostas escolares. Com isso, se configuram pouco a pouco comunidades de saber pedagógico num contexto no qual se melhora processos de escrita, sistematização, investigação, inovação, criação e recreação de experiências.

De acordo com isso, em países como Argentina, Brasil, Colômbia, Espanha e México, têm sido realizados eventos nos quais os professores são os protagonistas, diferente daqueles congressos e simpósios educativos nos quais participam como simples consumidores de elaborações produzidas por outros. Assim, no marco do projeto Investigação e Renovação Escolar (IRES) se realizou, na Espanha, o I Encontro Ibero-americano de Coletivos Escolares e Redes de Professores que fazem Investigação na sua Escola em julho de 1992, cuja temática foi o planejamento e o desenvolvimento curricular, com exposições de diferentes países relacionados com processos de investigação em aula.

Sete anos mais tarde, em julho de 1999 se realizou no México o II Encontro Ibero-americano, organizado pela Red Transformación de la Educación Básica desde la Escuela (RED TEBES - México) junto com a Red de Investigación y Renovación Escolar (RED IRES – Espanha) e a Red de Cualificación de Educadores en Ejercicio (RED-CEE – Colômbia). Neste encontro, do qual participaram mais de 680 professores de aproximadamente 248 grupos e coletivos de oito países, foi enfatizado o intercâmbio de experiências pedagógicas, de investigação e de organização dos professores.
O III Encontro Ibero-americano, se realizou na Colômbia em julho de 2002, com a inclusão de mais uma rede convocante, a Red de Docentes que Hacen Investigación Educativa (RED DHIE – Argentina). Esta edição, que contou com a apresentação de 280 trabalhos, buscou ampliar e aprofundar o intercâmbio de experiências de investigação, inovação e organização pedagógica, de coletivos e redes com o propósito de fortalecer processos que renovam o modo de pensar e de fazer escola, e encaminhar esforços em direção a uma elaboração coletiva de propostas de política educativa e a constituição de uma rede ibero-americana.
O IV Encontro Ibero-americano, se realizou na cidade de Lajeado, estado do Rio Grande do Sul, Brasil, em julho de 2005. Esta edição, que contou com a apresentação de 340 trabalhos, buscou a inovação, investigação, produção e renovação sobre a própria prática docente.
(Texto adaptado da revista Nodos y Nudos vol. 2, número 11, ag.–dez./ 2001, Bogotá, D.C.)