SISTEMA DE APOIO A DECISÃO (SAD)

Introdução

Os Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) cobrem uma grande variedade de sistemas, ferramentas e tecnologias. Há quem pense que o termo SAD está ultrapassado e que foi substituído por um "novo tipo" de sistema chamado "on-line analytical processing" (OLAP). Outros há que preferem realçar os Sistemas de Apoio à Decisão baseados em conhecimento como o "state of the art" dos Sistemas de Apoio à Decisão. Os investigadores operacionais focam nos modelos de simulação e optimização como o "verdadeiro" Sistema de Apoio à Decisão. Numa opinião mais generalizada poderemos dizer que os SAD são um termo compreendido em muitos tipos de sistemas de informação que suportam tomadas de decisões.

Definições

São todos os intervenientes na tomada de uma decisão, desde a extração de dados, passando pelo armazenamento, uso de modelos, interface e até o próprio utilizador.

Estes sistemas foram criados com o intuito de servir de adjuntos às pessoas que realizam decisões importantes, de maneira a expandir as suas capacidades, mas sem substituir as suas decisões. 

Sistemas de Apoio à Decisão são usados em decisões, em que um julgamento é necessário, ou em decisões que não são completamente suportadas por algoritmos, ou seja é sempre necessário um utilizador para usar estes sistemas, em que este representa o papel mais importante.

Outras definições:

"Conjunto de procedimentos baseados em modelos para processamento de dados e julgamentos para ajudar a tomar o seu utilizador a tomar decisões." (Little 1970)

 "Os SAD podem suportar problemas semi-estruturados e não estruturados" (Moore e Chang 1980)

 "Os SAD são sistemas computurizados que têm três componentes que interagem entre si: um sistema de linguagem (mecanismo de comunicação entre os vários componentes), um sistema de conhecimento(repositório dos dados) e um sistema de processamento de problemas (ligação entre os outros dois componentes com a particularidade de este ter capacidades especiais necessárias às tomadas de decisão)" (Bonczek 1980)

 "Os SAD são sistemas que são desenvolvidos através de um processo adaptativo e evolutivo de aprendizagem." (Keen 1980)

 "Os sistemas de apoio à decisão são sistemas de informação interactivos que assistem o decisor a aceder a problemas mal estruturados oferecendo modelos analíticos e acesso a bases de dados." (Zwass 1992)

"Os Sistemas de Apoio à Decisão têm quatro características principais: incorporam simultaneamente dados e modelos; foram concebidos para assistir os decisores/gerentes no seu processo de decisão sobre tarefas semi-estruturadas (ou não estruturadas); suportam (e não substituem) julgamentos ao nível da gerência; o seu objectivo é melhorar a efectividade das decisões, e não a eficiência com que cada decisão está a ser feita." (Turban 1990)

As várias definições apresentadas anteriormente têm a particularidade de definir Sistemas de Apoio à Decisão sob diferentes perspectivas (características [Little], componentes [Moore], processo de desenvolvimento [Keen], ...). De qualquer forma, todas as definições têm em comum a ideia de que são sistemas interactivos que estão direccionados para ajudar os decisores a utilizar modelos de  dados para identificar e resolver os problemas (que podem ser não estruturados ou semi-estruturados), e no fim tomar decisões. 

Características:

Uma vez que não há ainda nenhuma definição exacta do que é um SAD, surgiu um acordo sobre quais as principais características e capacidades de um SAD.

 

 

o      Problema de ação

o      Orientação para escolha

o      Suposição da relevância da resposta do sistema

o      Transferência de poder ao sistema que não é intencional

o      É mais difícil atribuir responsabilidades

  

Componentes:

Um Sistema de Apoio à Decisão contém os seguintes subsistemas :

·         Subsistema de gerenciamento de dados. Este subsistema inclui a base de dados, onde está a informação relevante para a situação e é gerida por um software a que se dá o nome de Data Management System (DBMS).

State-Of-The-Art:

Os mais sofisticados SAD para grandes empresas são construídos com base nos sistemas de informação para executivos (EIS - Executive Information Systems) que eram publicitados no final dos anos 80. Os EIS usavam gráficos, comunicações, e métodos de armazenamento de dados que providenciavam o fácil acesso em rede à informação sobre o estado da empresa.

Na maioria das empresas podemos identificar "pontes" entre os SAD das empresas, data warehouses e os sistemas desktop. Por exemplo, alguns consultores de SAD têm em vista sistemas para grandes empresas que sejam primeiramente um sistema de secretária, ou seja que guarda os dados no PC do escritório. Estas "pontes" de sentido único mostram apenas o tipo de arquitectura do SAD. Muito se tem que pensar sobre qual o tipo de dados que vai ser armazenado, onde, e como esses dados vão ser analisados e mostrados ao utilizador. A arquitectura do sistema é um problema complexo e não deve ser resolvido rapidamente. Por agora, podemos concluir que podemos classificar os sistemas como: "para grandes empresas" ou para "utilizadores individuais". A arquitectura pode ser cliente-servidor e pode criar passagens para mover os dados dos vários utilizadores para o servidor. Os SAD e os dados podem estar em toda a parte na empresa.  

Exemplos:

Existem vários tipos de SAD diferenciados pela sua complexidade, estes são alguns exemplos de simples SAD:

·         SAD para grandes empresas

O desenvolvimento de SAD para grandes empresas pode ser muito estimulante, com grandes data wharehouses que supostamente deixam os decisores encontrar tudo o que precisam sobre as suas companhias ao nível de momentos das mesmas. A estes decisores é permitido pesquisar, filtrar, fazer gráficos ou mapas sobre um qualquer tipo de dados. Um exemplo destes sistemas que por vezes é citado é o Decision Maker’s Workbench (DMW) desenvolvido em 1994 pelo Mervyn’s Department Stores e pela MicroStrategy.

Estudos publicados pelos vendedores indicam que o DMW foi amplamente distribuído através da organização Mervyn’s. Supostamente este sistema possui uma capacidade de tomada de decisões para utilzadores finais a todos os níveis. O sistema tem mais de 850GB de dados e permite análises de performance e de tendências, assim como inventários ou análises de stocks. O DMW utiliza 12 processadores Sequent Symemetry 790, Oracle 7.1 e um MicroStrategy’s DSS Agent.

SAD para grandes empresas podem abranger desde sistemas mais simples até sistemas de informação para executivos sofisticados com análises complexas e intensas de dados. Utilizando uma definição de Steven Alter (1980) podemos identificar os SAD para grandes empresas primeiramente como sistemas que permitem o acesso imediato a items de dados específicos. A um nível mais sofisticado encontramos sistemas de análise de dados que tornam mais fácil manipular dados, utilizando ferramentas de análise computadorizadas como pacotes estatísticos, data mining, etc. A definição mais sofisticada da análise destes sistemas para grandes empresas providencia o acesso a bases de dados "decision-oriented" ou data marts, modelos pré-definidos e mapas, dispositivos e alertas ligados a certos acontecimentos ou variáveis que constituem o data wharehouse.

 

Os SAD para utilizadores individuais não estão a receber o destaque e a atenção que é dada aos SAD para grandes empresas, mas eles conseguem ser bastante úteis. Por vezes usamos folhas de cálculo como o Excel ou o Lotus 123 para pequenas análises de secretária ou para o desenvolvimento de aplicações SAD específicas para utilizadores individuais. Outras vezes compramos pacotes especializados de SAD para um PC ou mesmo para um servidor. Um exemplo destes pacotes especializados que servem como um desktop SAD é o Expert Choice.

O Expert Choice implementa a hierarquia do processo. Este software para Windows pode ser utilizado para suportar um grande numero de situações de decisão, incluindo a estruturação de problemas complexos, desenvolvimento de prioridades e alternativas, a medição da consistência dos julgamentos, alocação de recursos, e a condução da análise de custos/benefícios. O programa ajuda na construção de informação relacionada num modelo hierárquico que consiste num objectivo, cenários possíveis, critérios e alternativas. O Expert Choice permite ao decisor fazer sistematicamente julgamentos sobre a importância reletiva de algum critério, ou a preferência para algumas alternativas relativas a outro critério. Para mais informações poder-se-à consultar o seguinte URL: http://www.expertchoice.com/.

Existe ainda um nível de SAD desktop que estão disponíveis. Podemos encontrar este tipo de sistemas num PC de um simples executivo implementado em Microsoft Access. Modelos de gestão de contas e finanças podem ser implementados como SAD desktop no Microsoft Excel e como componentes programados de SAD para grandes empresas. Em algumas organizações os analistas preparam uma análise financeira usando ferramentas desktop e publicando os seus resultados na intranet da empresa. Uma outra ferramenta de SAD que é implementada em alguns pacotes é a simulação. Pacotes de sotware de optimização e SAD construídos com eles são também muitas vezes implementados como pacotes de desktop para utilizadores individuais. No entanto, em algumas definições, o modelo de SAD pode utilizar dados em tempo real que recebe de uma WAN (wide área network) nos seus cálculos. Finalmente, modelos de sugestão de SAD ou sistemas baseados no conhecimento são muitas vezes implementados como aplicações para utilizadores individuais.

Os sistemas baseados no conhecimento (knowledge-based systems) são muitas vezes chamados de "expert systems". Estes programas analisam os dados utilizando lógica simbólica, têm uma base de conhecimento explicita e têm a capacidade de mostrar as conclusões de maneira a que os utilizadores as possam compreender. Os sistemas baseados no conhecimento podem ser úteis para lembrar um decisor experimentado de opções ou saídas a considerar e a ajudar novo gerente a tomar uma decisão mais complexa.

 Conclusão:

Os programadores, construtores e utilizadores dos SAD devem críticos consumidores dos SAD. Se tomarmos em conta um aspecto mais positivo, os SAD não precisam de "fazer tudo" para serem úteis. Os decisores podem muitas vezes beneficiar das rápidas respostas a pequenas questões; ou por lhes ser permitido fazer qualquer tipo de análise de dados; ou por poderem visualizar os dados em relatórios ou "screens" em qualquer sistema de informação para executivos (EIS).

 Então o que é um SAD? Um Sistema de Apoio à Decisão (SAD) é um sistema interactivo, computadorizado desenvolvido na intenção de ajudar alguém a tomar certas decisões. Um SAD ajuda um gerente a recuperar, sumariar e analisar dados importantes para as decisões. Pode ser primeiramente um SAD "data-oriented" ou um SAD "model-oriented". Pode ser um SAD para grandes empresas que suporta um vasto grupo de pessoas a trabalhar em rede, ambiente cliente-servidor com uma data warehouse, ou um sistema desktop com utilizador individual no PC de um escritório. Que fique então claro que construir um sistema de apoio à decisão que tenha sucesso começa por compreender o tipo de sistema computadorizado que estamos a tentar construir e não o que lhe possamos chamar.